Sabemos que o atendimento jurídico está mudando. Podemos auxiliar nas decisões do seu negócio.

FALE COM O CONSULTOR

Notícias

Gratificação de função não conta para base salarial

categoria:

Alegando violação aos princípios da irredutibilidade salarial e inalterabilidade contratual lesiva, presentes na Constituição Federal e na CLT, um servidor da Empresa de Gestão de Recursos do Estado do Piauí – Emgerpi, impetrou recurso no Tribunal Regional da 22ª Região (TRT-PI) solicitando a manutenção das gratificações que recebia da extinta Comdepí. O pedido foi negado pela Primeira Turma do tribunal.

 

No processo, o servidor informa que sempre exerceu função gratificada, entretanto, ela havia sido suprimida em janeiro de 2011, causando-lhe desequilíbrio financeiro e ferindo o princípio de irredutibilidade salarial. O trabalhador frisou que não desejava a incorporação das gratificações, mas o reconhecimento da parcela gratificação de função como parte integrante de sua remuneração.

 

Ele informou que era servidor da Comdepi e que foi absorvido pela Emgerpi quando o órgão de origem foi extinto e requeria que sua remuneração fosse mantida, sem a exclusão de nenhum valor. Contudo, a corte entendeu que as parcelas requeridas tem natureza de função comissionada e são transitórias, não integrando o salário permanentemente.

 

A relatora do processo, desembargadora Enedina Maria Gomes dos Santos, afirmou que tratando-se de gratificação de função, a transitoriedade lhe é inerente, sendo admitida sua supressão, sem que isso implique violação aos princípios da irredutibilidade salarial e da inalterabilidade contratual lesiva. Todavia, quando a gratificação for percebida por mais de 10 anos, ela adquire natureza definitiva, tendo o empregado o direito de tê-la incorporada a sua remuneração, ressaltou a relatora.

 

Porém, o servidor não comprovou ter 10 anos de trabalho com função gratificada, o que impede a incorporação ao salário. Considerando os termos dos autos, os desembargadores da Primeira Turma decidiram, por unanimidade, negar provimento ao recurso.

 

PROCESSO TRT RO Nº 0002088-82.2011.5.22.0003

 

Fonte: Tribunal Regional do Trabalho da 22ª Região

 

Saiba mais sobre assessoria e consultoria jurídica! A Rubens Andrade Advogados é um escritório de advocacia empresarial de Juiz de Fora (MG) e Belo Horizonte (MG) com profissionais especialistas em diversas áreas do direito. Agende uma visita conosco!

Notícias relacionadas:

Função de confiança exige prova de mando e salário

25/11/13

A função de confiança só é caracterizada se houver prova de poderes de gerência, com existênc...

Fale com um consultor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *