Sabemos que o atendimento jurídico está mudando. Podemos auxiliar nas decisões do seu negócio.

FALE COM O CONSULTOR

Notícias

Imunidade fiscal de terceiro setor depende de requisitos legais

categoria:

A imunidade das instituições de assistência social para a seguridade social depende da satisfação dos requisitos exigidos pela lei. Assim decidiu, por unanimidade, a 7ª Turma do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região.

 

No caso concreto, a entidade Recanto Salvador Pires entrou com recurso na Justiça com pedido de antecipação de tutela para anular Ato Cancelatório de Isenção de Contribuições Sociais e autos de infração contra a instituição.

 

A empresa alega ter o Certificado de Entidades de Fins Filantrópicos (CEFF), com validade para o período de 2 de setembro de 1999 a 1º de setembro de 2002, e de Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social (Cebas), válido entre 22 de julho de 2003 e 21 de julho de 2006, renovado até 12 de junho de 2010. Argumenta que o cancelamento da isenção de contribuições sociais “fora ato arbitrário e desproporcional, pois apenas deixara de observar um requisito de pouca relevância se comparado ao objetivo maior da entidade”.

 

O desembargador Luciano Tolentino Amaral não acatou os argumentos apresentados pela instituição. Explicou que a Lei nº 12.101, de 2009, estabeleceu requisitos cumulativos e detalhados para o reconhecimento da isenção de contribuições previdenciárias, entre elas, o Cebas.

 

“Ainda que a agravante possuísse, atualmente, Cebas válido, ela não comprovou atender aos demais requisitos, cumulativos”, disse.

 

Segundo noticiou o Valor no início do ano, as empresas aguardam julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF)  sobre essa lei, que fixa os requisitos para a obtenção do certificado de entidade do terceiro setor. O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) entrou com uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin), com pedido de liminar, para suspender a eficácia da lei.

 

Para a OAB, a lei extrapola os critérios definidos na Constituição Federal sobre a limitação do poder de tributar.

 

Fonte: Valor Econômico

 

Notícias relacionadas:

Juiz condena município a isentar IPTU de imóveis para finalidade institucional

05/02/14

Sentença proferida condenou o Município de Campo Grande a declarar o direito do SENAI de Mato Gros...

Aviso prévio indenizado não pode ser tributado, diz TST

04/11/13

O valor recebido pelo trabalhador como indenização do aviso prévio não pode ser tributado, mesmo...

Reconhecida imunidade tributária parcial à Companhia de Saneamento de AL

31/10/13

fOI reconhecido à Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) o direito à imunidade de impostos sob...

Fale com um consultor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *