Sabemos que o atendimento jurídico está mudando. Podemos auxiliar nas decisões do seu negócio.

FALE COM O CONSULTOR

Notícias

TJSP mantém restrição a uso de marca de refrigerante

categoria:

A 2ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça decidiu manter a restrição da utilização do nome ‘Refree Cola’, excluindo-o de campanhas publicitárias, embalagens, impressos, letreiros de produtos, etiquetas, internet, cartazes, ou qualquer outro meio que revele seu produto ao público, sob pena de multa diária de R$ 10 mil.

 

O relator Neves Amorim afirmou que “trata-se de demanda proposta pela empresa Indústria e Comércio de Bebidas Funda Ltda. com o objetivo de impedir a empresa-ré,  Refrigerantes Marajá S.A., de fazer uso da expressão ‘Refree Cola’, tendo em vista a existência de legítimo registro para a marca ‘Refricola’, de sua propriedade, junto ao Instituto Nacional de Propriedade – INPI”.

 

“É importante desde logo esclarecer que o centro do debate não é a utilização da expressão ‘Cola’ ou a utilização da marca ‘Refree’, mas, a utilização de ambas, em destaque no rótulo, seja em conjunto, justapostas ou superpostas”, destacou o relator em seu voto. “Em todas estas situações existe a possibilidade de confusão”, complementou.

 

“Cabe esclarecer ainda que”, prossegue o relator, “é bem verdade que a ré não fez uso específico da marca registrada pela autora (‘Refricola’), porém a composição por ela formulada entre a marca a ela concedida (‘Refree’) e a expressão ‘Cola’ tornaram as expressões foneticamente idênticas, com a clara possibilidade de o consumidor ser enganado”.

 

Neves Amorim concluiu que “revela-se correta a decisão em primeiro grau em determinar à ré a abstenção do uso da expressão ‘Refree Cola’”. Quanto ao pedido indenização, disse que “a jurisprudência considera tal indenização consequência direta da violação de direitos de propriedade industrial, conforme dispõe o artigo 209 da Lei 9279/96”, finalizou.

 

Do julgamento, decisão unânime, participaram também os desembargadores José Joaquim dos Santos e Alvaro Passos.

Processo nº 0020463-94.2008.8.26.0482

 

Fonte: TJSP

Notícias relacionadas:

Presença em cadastro de devedores afasta nova notificação

09/12/13

Os cadastros de inadimplentes têm gerado uma série de decisões recentes no Superior Tribunal de J...

Banco prova dívida de ex-cliente e juiz revoga liminar

25/11/13

Quando ajuíza ação contra instituição financeira por inclusão indevida em cadastro de restriç...

Dano moral por uso indevido de marca deve ser provado

25/11/13

Em caso de uso indevido de uma marca, o titular do registro só tem direito à indenização por dan...

Fale com um consultor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *